Quando a melhor escolha é adotar um cachorro?

0
460

Adotar um cachorro é um ato de amor. Nada pode ser tão gratificante do que dar um lar para um animalzinho até então desamparado.

Além disso, o ato da adoção também é uma responsabilidade social. Para se ter uma breve ideia, dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que no Brasil existe cerca de 30 milhões de animais abandonados.

Sendo assim, quando você decide adotar um cachorro está não só dando mais alegria para ele como também está colaborando para a diminuição dessas estatísticas. Então, se você está querendo um animal de estimação pense em adotar.

Adotar um cachorro é melhor do que comprar?

Essa é uma pergunta que muitas pessoas se fazem. Pois, a grande maioria quer ter um cachorro de raça, que seja filhote ainda. E por isso, a adoção encontra bastante resistência no país.

Contudo, apesar de ser uma decisão pessoal, quando você opta pela adoção está dando uma enorme contribuição para o seu município e também para o país. Além do mais, você também está ajudando um animalzinho abandonado a ter um lar.

Pense: você acha que a vida de um cachorro vivendo pelas ruas de uma cidade, ou esperando uma adoção em uma organização é fácil? Apesar de não serem humanos, eles também sentem.

Logo, se entristecem, pois não possuem amor, afeto. Também não tem com quem brincar além de não possuir uma alimentação adequada. É bem provável, que nessas circunstâncias a expectativa de vida de um cãozinho seja bem pequena.

Dessa forma, quando você decide adotar um animal está ajudando a salvar uma vida. Vivendo sob cuidados em um lar, ele estará mais feliz, mais bem cuidado e consequentemente terá uma vida mais prolongada.

Motivos é que não faltam para adotar um cachorro

Além de salvar uma vida, você também estará ajudando na saúde do animal e do município. E se ainda possui alguma resistência em virtude do cãozinho ser um vira lata, saiba que eles possuem menos tendência de desenvolver uma doença séria.

Também são bastante dóceis com seus donos, e pode ter certeza que te farão companhia tanto nos bons quanto nos maus momentos da sua vida. Certamente, temos muito que ensinar para os cães, mas também temos muito o que aprender com eles.

Resiliência, amor incondicional são apenas alguns dos sentimentos que esses nossos amigos nos ensinam durante a sua jornada na terra. Quando partem, no entanto, deixam sempre aquele vazio e as doces lembranças dos bons momentos.

Preparação para a adoção

Como pudemos ver, motivos não faltam para adotar um peludinho. Mas, muita gente só de imaginar um novo membro dentro de casa, fazendo sujeira e às vezes até destruindo as coisas, acaba titubeando.

Por isso é preciso realmente ter certeza do que você quer. Em outras palavras, é preciso preparar-se psicologicamente para adotar um animalzinho. É preciso entender que junto dos bons momentos também vêm as responsabilidades.

Você terá que comprar ração, levá-lo no veterinário. Isso sem contar que muitas vezes acordará no meio da noite com ele latindo. Mas tudo faz parte de um aprendizado de convivência fantástico, que sem dúvida não tem preço.

Por isso, antes de adotar um animalzinho é preciso estar bem preparado psicologicamente, sabendo o que realmente está por vir.

Ambiente que irá receber o animalzinho adotado

Um dos pontos que precisa ser avaliado está relacionado ao espaço do seu lar. Dessa forma, é preciso entender que dependendo do porte do animal, exige-se um espaço para que ele possa viver livremente.

No entanto, mesmo pessoas que moram em apartamento, se possuem tempo livre podem adotar um cachorro. Pois, existem inúmeras atividades que podem ser desenvolvidas como caminhadas, brincadeiras na praça, entre outros.

Entretanto, procure levar esses fatores em consideração antes de decidir adotar um animal de estimação, para evitar aborrecimentos futuros.

Condições financeiras para adotar um cachorro

Uma outra pergunta que você deve se fazer é se possui condições financeiras para adotar um cachorro. Entenda que cães proporcionam um certo gasto. Afinal, você terá que vaciná-lo, levá-lo ao veterinário, comprar ração, coleira, brinquedos, entre outros acessórios.

Contudo, saiba que se você possui condições de adotar um animal de estimação, cada centavo gasto vale a pena. A retribuição de amor, de companheirismo é algo que realmente não tem preço. 

O que é preciso para adotar um cachorro?

Primeiramente é preciso entrar em contato com a ONG responsável do seu município, ou dependendo da cidade com o Centro de Controle de Zoonoses. Pois, cada cidade possui um procedimento diferente de adoção e por isso é melhor se informar diretamente.

No entanto, apesar de cada município possuir regras próprias, existem alguns requisitos que normalmente são exigidos em todas as cidades. Dentre as principais exigências, podemos citar:

  • Ter no mínimo 21 anos;
  • Apresentar RG, CPF e comprovante de residência;
  • Comprometer-se a cuidar do pet assinando um termo de responsabilidade.

Como cada município possui suas próprias regras, em alguns locais pode acontecer também de ser solicitado o preenchimento de um formulário. Nele deverá ser informado como será o dia a dia do cão, bem como se você já possui outros animais na casa.

Rotina após a adoção

Após a adoção você terá um companheiro para passar os seus dias. Saiba que cães adotados em ONGS normalmente já estão castrados, vacinados e vermifugados. Todavia, isso não impede você de levá-lo a um veterinário.

Entenda também que os primeiros dias são de adaptação para o cãozinho, e apesar de não serem mais filhotes, no começo podem não fazer suas necessidades no local correto. Tenha paciência para ensiná-los, pois eles aprenderão.

Se possível, passeie com ele com certa frequência. Isso o ajudará a gastar energia, além de deixá-lo bem mais feliz. Ah, e certamente isso também fará um enorme bem para a sua saúde, pode acreditar.

Como vimos, adotar um cachorro é um lindo ato que contribui para a alegria de um animalzinho, além de colaborar para a sociedade como um todo. Apesar dos pesares, saiba que sua vida irá mudar para melhor tendo sempre um companheiro dócil e amoroso.